Virtualização? Deixe com o VirtualBox!

Já ouviu falar em virtualização? Não? Pois saiba que se trata de um ótimo recurso quando queremos ter contato com sistemas operacionais diferentes daquele que utilizamos, mas que não oferecem a opção de carregamento como live-cd. Existem várias ferramentas que proporcionam esse tipo de virtualização, sendo que a mais conhecida é o software proprietário VMware. Mas por que usá-lo se temos alternativas livres? 😉

O VirtualBox é uma dessas ferramentas. Com interface, desempenho e modo de operação muito semelhantes às do VMware, sua navegação é bem intuitiva e com opção de menus em bom português.

Após a sua instalação, precisamos escolher em seu menu a criação de um espaço virtual e realizar a sua configuração, que para o sistema operacional “convidado” será uma partição vazia, completamente isolada do sistema operacional em funcionamento. Feito isso inicializamos essa partição, realizamos a instalação do novo sistema, assim como faríamos em uma máquina recém formatada ou sem sistema operacional e pronto, é só partir para o abraço! Ops! Quero dizer, uso!

É bem simples e, para cada novo sistema adicionado a ele, é gerada uma entrada de menu para que possa carregá-lo quando quiser. Como essas máqinas virtuais simulam um novo computador para o sistema operacional “convidado”, o ideal é que tenhamos um hardware de configuração razoável para uma execução satisfatória. Afinal tanto o sistema operacional “convidado” quanto o “hospedeiro” irão compartilhar entre sí os mesmos recursos computacionais. Nas imagens que estão vendo estou executando-o na distribuição Slackware Linux 12.0 como “hospedeira” e a VectorLinux 5.9 como “convidada”.

Com versões para Windows, GNU/Linux e Mac OSX, o VirtualBox é uma alternativa à altura de seu concorrente proprietário, porém com todas as vantagens de um software livre. Que tal agora pegar aquela distribuição GNU/Linux que você tem, ou baixar aquela que te interessou mas não sabia se conseguiria realizar a instalação com segurança, e virtualizá-lo? Talvez o processo não seja tão difícil quanto imagina. Confira no site do projeto mais alguns screenshots, instale-o e divirta-se!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s