GNOME SlackBuild, versão liberada para o Slackware

Assim que o novo Slackware, versão 12.1, foi lançado, achei que em pouco tempo o projeto Dropline lançaria uma versão que fosse compatível com ele, porém não há notícias de quando será liberada esta atualização. Então, como iria passar para o novo Slackware, resolví fazer uma instalação do zero e verificar se algum dos outros projetos, que se propõem a levar o GNOME até ele, haviam lançado versões compatíveis. Não precisei navegar muito, o GSB – GNOME SlackBuild já estava disponível. Embora não seja a versão mais recente do GNOME, já é compatível com o Slackware 12.1, algo que mesmo sabendo que poderia ser inútil, tentei sem sucesso conferir se o Dropline seria.

Sua instalação é tão simples ( e tão demorada! ) quanto a do Dropline, bastando haver espaço no HD, uma conexão com a Internet, de preferência banda larga é claro ou levará uma eternidade, e alguns poucos comandos e configurações. Na página de instalação estão listados os procedimentos a serem seguidos para as arquiteturas de 32 ou 64 bits. No meu caso, a primeira arquitetura é a válida, e tudo o que precisa-se fazer é logar em um terminal como root, preferencialmente em nível de execução 3, que é o padrão do Slackware, e digitar o seguinte comando:

# lynx –source http://gnomeslackbuild.org/net-install | bash

Esse comando instala o Slapt-get, um similar do Apt-get nas distribuições Debian, já  configurado para iniciar o modo net-install de instalação do GSB. Com isso, o Slapt-get checará as dependências de instalação do GSB antes de efetuá-la em definitivo.

Como podem ver pelo screenshot, ele atualizou em meu sistema 14 programas e instalou 15 novos, num  total de quase 57 MB a mais, pré-requesito para uma instalação tranquila do GNOME SlackBuild. Mas isso pode variar de acordo com a seleção de pacotes que tenha feito durante a sua instalação do Slackware.

Depois disso, é iniciada a instalação do GSB propriamente dita. Como é visto no screenshot acima, são mais 364 pacotes a serem instalados, ocupando pouco mais de 785 MB no formato compactado em que estão. Mesmo com banda larga, poderão com certeza ir tomar um café beeeeem demorado, quem sabe até almoçar ou jantar.🙂

Com o sistema instalado, automaticamente o nível de execução é alterado para 4, mudando a inicialização para o modo gráfico e trocando o KDM, ou o XDM se este for o que estiver em uso no momento, pelo GDM, que é o padrão do GNOME. Para efetuar o login, escolha a sessão Compiz GNOME e entre com o seu nome e senha. O GNOME será carregado, porém isso foi só para que vejam que ele realmente está instalado e o pequeno problema que deverão corrigir. Como podem ver no screenshot abaixo, os ícones do desktop KDE e GNOME estão ocupando a área de trabalho disponibilizando duas lixeiras. Vocês não podem simplesmente apagar uma delas pois, ao carregarem um ou outro gerenciador de janelas, o que teve a lixeira excluída não a disponibilizará.

Para resolver isso é só mudar o caminho de um dos desktops dos dois gerenciadores. Para exemplificar mostrarei como é feito no KDE. Acesse o Centro de controle, através do menu K, e selecione a área Caminhos na seção de Administração do Sistema. Nela basta alterar o caminho informado na primeira linha, alterando-o como desejar, renomeando o caminho original.

No meu caso só acrescentei o número 1 ao final do caminho. Ao mandar aplicar, já nos é informado que o caminho foi alterado e perguntado se desejamos mover os arquivos, ou seja os ícones, para o novo destino. Basta concordar clicando em mover e eles serão movidos para lá.

Como verão, isso não alterará em nada o funcionamento do KDE mas retirará os ícones que lhe pertencem da área de trabalho do GNOME. Assim, os dois gerenciadores voltam a dispôr de ícones independentes, sem que interfiram no funcionamento um do outro.

Prontinho! O GNOME SlackBuild está instalado e pronto para ser personalizado ao seu gosto! Fique à vontade e até a próxima!

2 opiniões sobre “GNOME SlackBuild, versão liberada para o Slackware

  1. Eh rapaiz, vou te falar, o GSB está superando as minhas espectativas. No começo, quando ele ainda era servido via svn e você mesmo compilava seus pacotes de instalação via SlackBuilds, muitas coisas ainda eram necessárias para você realmente ter um sistema estável.

    Hoje eu vejo que o GSB está muito melhor que o Dropline. E ainda têm uma vantagem: Por não alterar praticamente nada da instalação padrão do Slack, manter um sistema -CURRENT é totalmente de boa.

    Ótima distribuição do Gnome! Se lançarem em CD a instalação do GSB, vai ser mais um CD que vou ter sempre à disposição para instalar junto com meu sistema =D

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s