Cientistas inicializam 1 milhão de kernels Linux como máquinas virtuais

Cientistas computacionais do Sandia National Laboratories, em Livermore – Califórnia, demostraram pela primeira vez a habilidade de executar mais de um milhão de kernels Linux como máquinas virtuais. O objetivo da pesquisa é observar com mais eficiência o modo de ação de botnets e redes de computadores infectados que possam operar na escala de um milhão de nós. Executando um grande volume de máquinas virtuais em um supercomputador, como no caso do cluster usado pela Sandia, permitiria aos pesquisadores observar como as botnets funcionam e explorar métodos de pará-las.

Devido a sua natureza, as botnets são difíceis de analisar pois são espalhadas geograficamente aos redor do mundo. Eventualmente os pesquisadores pretendem ser capazes de emular a rede computacional de uma pequena nação, ou mesmo uma tão grande quanto a dos Estados Unidos para virtualizar e monitorar um ataque cibernético. Isso permitiria estudar como estes ataques são desenvolvidos, executados e como poderiam ser impedidos ou neutralizados.

Mais um exemplo de aplicação para os softwares livres.🙂

Para ler o restante do artigo, em inglês, acessem o site da Help Net Security.

Uma opinião sobre “Cientistas inicializam 1 milhão de kernels Linux como máquinas virtuais

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s