Slackware Linux – Atualizações de segurança. Outubro, 2016.

Slackware logo

Olá! Ontem o time de desenvolvimento da Slackware Linux liberou atualizações de segurança importantes, incluindo a que disponibiliza um novo kernel, agora em versão 4.4.29, eliminando de vez a possibilidade de exploração da vulnerabilidade divulgada recentemente, e nomeada como Dirty Cow, portanto se você não fez a atualização manual do kernel, agora já dispõe dos pacotes oficiais oferecidos pela equipe de desenvolvedores da distribuição. Além da atualização do kernel Linux, outras correções importantes estão disponíveis: PHP 5.6.27, MariaDB 10.0.28 e bibliotecas libX.

É recomendável que faça a atualização de todas os sistemas sob sua administração o quanto antes, evitando possíveis explorações às falhas relatadas, além da programação de parada para a devida reinicialização dos mesmos, possibilitando que estes passem a utilizar o novo kernel.

Anúncios

Slackel 4.14.21 “KDE Live” lançada! Outubro, 2016.

slackel-01

Foi disponibilizada mais uma versão da distribuição GNU/Linux Slackel, sendo esta a 4.14.21, que trás o KDE como ambiente gráfico padrão. Esta distribuição é baseada em outras duas, sendo estas a Slackware Linux e a Salix, porém com foco na versão current da distribuição Slackware, além de disponibilizar versões com outros dois ambientes gráficos: OpenBox e Fluxbox.

Esta versão Live conta com imagens de 32 bits ou 64 bits, e inclui scripts que auxiliarão os usuários na sua instalação em pendrives, bem como várias atualizações em seus pacotes. Entre estas atualizações encontramos o kernel Linux 4.4.23, Thunderbird 45.4.0, Firefox 45.4.0esr, FileZilla 3.16.1, gFTP 2.0.19, Pidgin 2.11.0, GIMP 2.8.18, LibreOffice 5.2.2, Openjre-8u91-b14, rhino, icedtea-web, Gparted-0.26.0, entre outras.

Os requisitos mínimos para a utilização da Slackel incluem processadores Pentium 2 ou equivalente e 1 GB de memória RAM, sendo 2 GB o recomendado.

Para acessar o anúncio oficial basta seguir este link.

Falhas de segurança encontradas na versão 1.18 do VeraCrypt

System

Uma auditoria realizada pela Quarkslab, empresa francesa de segurança cibernética, descobriu falhas críticas de segurança no software de código aberto VeraCrypt, utilizado para a encriptação de discos ou a criação de compartimentos criptografados nestes.

O trabalho foi realizado sob encomenda do Open Source Technology Improvement Fund, e possibilitou que fossem encontradas oito vulnerabilidades críticas, três de risco médio, além de quinze outras de baixo impacto.

Algumas destas falhas já foram corrigidas e liberadas junto à versão 1.19 do VeraCrypt, portanto se você utiliza versões anteriores a esta é recomendável que realize a atualização do aplicativo. Outras permanecem em aberto devido a complexidade envolvida na correção, e que poderiam causar problemas de retrocompatibilidade.

Uma das mudanças mais significativas, foi a remoção do padrão russo de criptografia GOST 28147-89, que foi considerado inseguro pelos especialistas. Usuários que utilizaram anteriormente este padrão ainda serão capazes de acessar e manipular compartimentos ou discos, porém a criação de novos não estrá mais disponível.

Outras correções foram aplicadas ao gerenciador de inicialização, voltadas a computadores e sistemas operacionais com recursos UEFI, e corrigem falhas encontradas. As bibliotecas XZip e XUnzip também continham falhas e foram substituídas pela mais moderna e segura libzip.

Para acessar o relatório técnico da auditoria, em formato PDF, basta clicar neste link. Para ver o anúncio oficial por parte da OSTIF clique aqui.