Slackware Linux – Notícias sobre o desenvolvimento. Agosto, 2013.

Slackware logo

Falando novamente sobre as mudanças que vem ocorrendo na distribuição Slackware Linux, previstas para integrar a próxima versão, já que toquei no assunto somente no mês de abril passado, mesmo com toda a atividade ocorrida em seu desenvolvimento, o mantenedor da distribuição, Patrick Volkerding, ainda não a marcou como sendo uma versão beta, mas disse estarem “bem próximos” deste estágio.

Verifica-se principalmente a mudança do kernel Linux para a versão 3.10.5, justificada pela alteração recente que marcou a série 3.10 como sendo LTS ( Long Term Support ), o que significa que esta é uma versão do kernel com suporte de longo prazo, onde o gerenciamento do ciclo de vida do software é estendido, e passa dar ênfase a segurança, ou podendo se dizer confiança, no produto. Esta versão traz também a correção para um problema que ocorria em máquinas Intel.

Atualizações de segurança, já esperadas, foram aplicadas aos aplicativos Mozilla Firefox e Mozilla Thunderbird, contando agora com as versões 23.0 e 17.0.8 respectivamente, provendo patches de segurança para uma navegação mais tranquila na Internet. Ainda relativo a navegadores web, o aplicativo Seamonkey também foi movido para a versão 2.20. Outras atualizações importantes referem-se ao Bind, httpd, gnupg, libgcrypt e Samba, todos com correções de segurança.

O ambiente gráfico KDE está sendo disponibilizado em sua versão 4.10.5 e a Calligra, suíte office que acompanha a distribuição, e que também possui versões instaláveis para os sistemas operacionais Microsoft Windows e OS X, foi atualizada para a versão 2.7.1. Outras correções e upgrades menores também foram aplicados, podendo serem consultadas através do changelog, disponível na página do projeto.

Anúncios

Mozilla Firefox 20 melhora a navegação com privacidade

firefox-logo

A Fundação Mozilla liberou a nova versão do seu navegador web de código aberto, o Firefox 20, e com ela foi finalmente implementada uma funcionalidade ligada à privacidade dos usuários que até então não era possível.

No ano de 2008, a versão 3.1 do Firefox introduziu o “modo privado” de navegação, na qual o histórico de páginas visitadas e os cookies não eram retidos após o fechamento do navegador. Porém, antes da versão 20 lançada recentemente, só era possível utilizar esse recurso se o usuário abrisse uma nova janela em modo seguro, já que apenas abrir uma nova aba o levaria a continuar em uma navegação não segura.

Agora, um usuário pode estar com uma janela aberta em uma sessão normal e abrir uma nova aba para navegação em modo privado, ambas funcionando de forma independente e com configurações de privacidade próprias.

Além disso, foi anunciada também uma melhoria na performance de inicialização em mais de dez porcento, o que vai ser facilmente percebida pelos usuários, e a substituição do gerenciador de downloads, que agora vem de forma integrada à barra de ferramentas principal do navegador, evitando assim que seja necessária a alternância de janelas para acompanhamento dos downloads em execução, já que os mesmos ficavam em uma janela separada quando acionados anteriormente.

Para uma lista completa das modificações implementadas, acessem a página oficial do projeto.

Já testou o Fennec? Não?! Você pode!

Sim, é isso mesmo! Você não precisa comprar um celular novo ou fazer malabarismos para testar o novo browser da Mozilla. Basta baixar um arquivo, descompactá-lo e tê-lo instalado em seu computador. Seguem abaixo, algumas imagens do Fennec em execução no desktop. Para ampliá-las basta clicar em alguma.

Essa é a página de abertura. Ela explica o funcionamento do browser. Caso mova para a direita terá acesso às suas abas, ou para a esquerda para ter acesso aos controles.

Achei sua navegação bem simples, assim como deve ser um navegador para aparelhos compactos. Tão logo digite algo, ele já disponibiliza um campo de busca que suporta vários sites com esta finalidade, como por exemplo o Google, Yahoo!, etc. Por padrão, a busca é efetuada no Google, assim como no Firefox.

Com a evolução destas buscas, o navegador vai criando uma relação com as mais recentes, disponibilizando assim um retorno mais rápido a algum site que se tenha visitado recentemente. Como pode ser visto na imagem acima. A falta das barras de rolagem deixa-nos um pouco perdidos, devido ao costume com o mouse, ficando a cargo das setas direcionais a rolagem da página para cima ou para baixo.

A visibilidade das páginas obteve o mesmo desempenho que teria se fossem carregadas no Firefox ou outro navegador para desktop, não reclamando de plugins flash e etc.

Em resumo, a versão alpha do Fennec mostrou-se bem estável no curto período em que o testei, não apresentando problemas na visualização de páginas ou velocidade. Fica aqui a dica para quem está curioso(a) em ver o funcionamento do navegador mais de perto.

Quem quiser experimentar o Fennec, basta acessar esta página com as notas de lançamento. Nela encontrarão estes links para os sistemas GNU/Linux, MacOS X e Windows. É só clicar, baixar e testar. 🙂