Linux Certification Virtual Summit – 17 a 23 de outubro, 2016

Certificado

Um ciclo de palestras virtuais sobre certificações Linux será realizado entre os dias 17 e 23 de outubro. Durante o Linux Certification Virtual Summit, diversos profissionais estarão compartilhando seus conhecimentos, falando sobre o que fazer, e como fazer, para obter a sua certificação em administração de sistemas GNU/Linux, comentando e oferecendo dicas para os exames das principais fornecedoras disponíveis no mercado. As inscrições são gratuitas.

A abertura será realizada por John “Maddog” Hall, que falará sobre a importância de se aprender sobre os sistemas GNU/Linux e o impacto que causam no mundo atual. Nos dias seguintes teremos palestras falando sobre as certificações Linux+ da CompTIA, Linux Essencials da Linux Foundation, LPIC do Linux Professional Institute, além das certificações RHCSA e RHCE da Red Hat Inc. Segue abaixo a programação:

Dia 17

Mastering CompTIA Linux+ – Jason Eckert focará nos objetivos de exame CompTIA Linux+ 104, onde detalhará o que você precisa saber a respeito de shell scripting, gerenciamento de dados, interfaces com o usuário e tarefas administrativas.

Mastering CompTIA Linux+ – Jesse Varsalone discutirá sobre fóruns online, comandos que você precisa saber para ser aprovado nos exames e a importância de se conhecer os sistemas GNU/Linux no mundo da segurança cibernética.

Dia 18

Linux Essencials – Sirko Kemter discutirá seu envolvimento no projeto Fedora, além dos comandos e conceitos necessários para ser aprovado no exame Linux Essencials.

Dia 19

LPIC – 1 Certified Linux Administrator – David Morgan discutirá a respeito da certificação do Linux Professional Institute, oferecendo técnicas para ser aprovado nos exames 101 e 102.

Dia 20

LPIC – 2 Certified Linux Engineer – Andrew Mallet focará no exame LPIC – 2 201 onde falará sobre os comandos que deve se conhecer sobre o kernel Linux, inicialização de sistema, além de dispositivos e sistemas de arquivos.

LPIC – 2 Certified Linux Engineer -Mark Clarke falará sobre os passos que seguiu para obter a certificação LPIC – 2 e também sobre a companhia Jumping Bean.

Dia 21

LPIC – 3 Linux Enterprise Professional 303 Security Exam – Bruno Guerreiro Diniz oferecerá dicas sobre como ser aprovado no exame 303-200, incluindo tópicos como criptografia, segurança de hosts, controle de acesso, e segurança de redes.

LPIC – 3 Mixed Environment Certification – Glaysson Barboza falará sobre como foi aprovado no exame e trará dicas que você poderá usar para também ser aprovado.

Dia 22

Red Hat Certified Systems Administrator – Tyrone Terrence McKinney lhe mostrará de forma prática as habilidades necessárias para ser aprovado no exame. Nesta sessão ele focrá no entendimento e uso de ferramentas essenciais, execução de sistemas e configuração de storages locais.

Red Hat Certified Systems Administrator – Asghar Ghori revelará os comandos mandatórios para ser aprovado no exame RHCSA. Ele também explorará as formas de se implantar, configurar e manter sistemas, além das habilidades para criar e configurar sistemas de arquivos.

Dia 23

Red Hat Certified Engineer – Sander Van Vugt’s manterá a discussão centrada nos comandos para a configuração e gerenciamento de sistemas, incluindo a configuração de endereços IPv6, firewalls e roteadores.

Red Hat Certified Engineer -Devin Acosta’s focará na instalação, configuração e troubleshooting de serviços de rede, além de informações sobre como se tornar um arquiteto certificado Red Hat.

Para se increver, basta acessar o link para a página oficial do evento.

CentOS, uma versão corporativa de GNU/Linux

O CentOS ( Comunitty Enterprise Operation System ) é uma distribuição GNU/Linux baseada no Red Hat Enterprise Linux e voltada para o uso em servidores. O interesse por sua criação surgiu quando a Red Hat restringiu o uso de sua marca somente aos usuários(as) de seu serviço de suporte, mas continua seguindo a norma de fornecimento dos códigos-fonte de seus programas, proporcionando o surgimento de distribuições derivadas, como é o caso do CentOS e da já bem conhecida Fedora. Com isso iniciou-se o projeto CentOS, que hoje oferece sua versão de GNU/Linux corporativo totalmente compatível com a RHEL, porém removendo as logomarcas pertencentes à Red Hat.

Em artigo recente, Carlos Morimoto escreveu sobre como instalar e configurar o CentOS. Para aqueles(as) que pretendem obter as certificações da Red Hat, vale a pena ler o artigo e realizar a instalação do CentOS para acostumarem-se ao ambiente e aos comandos. Eu mesmo pretendo começar os estudos para obter uma RHCE. Claro que isso é um plano de médio prazo, afinal já tenho um bocado de tempo ocupado durante meus dias, mas com isso já posso fazer analogias com outras distribuições, o que pode me ajudar a fixar com maior facilidade os comandos e procedimentos de configuração.

Por isso, tanto para a utilização em ambiente de produção quanto o uso em estudos para a obtenção das certificações Red Hat, eu recomendo o CentOS como opção de menor custo e sem perda de desempenho ou qualidade. Para mais informações em português, podem consultar a página brasileira do projeto. Mais uma vez a diversidade e a filosofia das distribuições GNU/Linux facilita as nossas vidas e estudos.

Certificações em sistemas GNU/Linux, upgrade no currículo.

É inegável que a competitividade no mercado de trabalho fica cada vez maior com o passar do tempo, por isso as empresas buscam sempre os profissionais mais atualizados para ocuparem as vagas disponíveis. Nessa luta por uma colocoção, uma certificação é sempre bem vista durante a análise de um currículo, sendo muitas vezes até decisiva para um(a) headhunter que procure profissionais diferenciados. As certificações em sistemas GNU/Linux podem ser um atrativo a mais no perfil dos candidatos a uma vaga, ou mesmo para aqueles que almejam uma promoção na empresa em que já trabalhem. Existem várias opções de certificados que podem lhe valer um bom emprego ou um melhor salário. Vejamos algumas.

No campo de sistemas operacionais GNU/Linux as mais valorizadas, atualmente, são as certificações da Red Hat e do Linux Professional Institute. Com metodologias bem diferentes na avaliação do conhecimento de quem as deseja conquistar, essas certificações são as mais requisitadas e respeitadas pelas empresas. Mas existem outros players no mercado, como as certificações da Mandriva, da Suse, ou mesmo as mais básicas para aqueles(as) que procuram um conhecimento introdutório desses sistemas, que embora não sejam oficiais são emitidas por empresas já reconhecidas pelo comércio como centros de treinamento sérios, como é o caso das unidades do Senac espalhadas pelo Brasil.

logo_redhat.gif

Ambas de nível internacional, as certificações Red Hat ou LPI conferem àqueles(as) que as obtém o reconhecimento do mercado de trabalho em qualquer parte do planeta. Além de atestarem o conhecimento em operação ou administração de sistemas GNU/Linux, elas podem fazer a diferença entre ocupar ou não determinada vaga. Afinal exigem realmente que se conheça o sistema operado/administrado, ou uma dedicação significativa para o estudo destes, na maioria das vezes necessitando de participação em treinamentos específicos nos centros autorizados para ser aprovado em uma delas. Mas isso não é obrigatório, você pode estudar por conta própria e somente realizar sua prova de certificação em um dos agentes autorizados à aplicação dos exames.

lpi-parceiro.jpg

As certicações Red Hat estão divididas em vários tipos: RHCT ( Red Hat Certified Tecnitian ), RHCE ( Red Hat Certified Engineer ), RHCSS ( Red Hat Certified Security Specialist ), RHCA ( Red Hat Certified Architect ), entre outras, que atestam a capacidade de operação, configuração e administração de sistemas Red Hat. Caso preencha um cadastro simples, é possível responder a questionários de pré-avaliação que verificam o seu nível de conhecimento on-line, obtendo não só o resultado em seguida, mas também sugestões das áreas de conhecimento do sistema onde é preciso focar mais os estudos. Já as certificações LPI são divididas em tres níveis: LPI-I, LPI-II e LPI-III, que equivalem aos níveis básico, intermediário e avançado, e oferecem uma forma mais genérica de aprendizado, não restringindo o conhecimento adquirido a uma só distribuição.

Caso deseje obter alguma dessas certificações, você pode acessar as páginas da Red Hat ou do Linux Professional Institute para obter maiores detalhes sobre as opções de certificados disponibilizadas por eles, escolher a sua e dedicar-se aos estudos, ou mesmo escolher um dos centros de treinamento autorizados mais próximo de sua casa, ou trabalho, e participar de um curso preparatório oficial. O resultado de tal afinco é sempre positivo, refletindo em uma nova colocação ou em um holerite mais pomposo. Boa sorte!