Vulnerabilidade Ghost corrigida na multilib, para Slackware Linux

Slackware logo

Para aqueles usuários que, assim como eu, utilizam a versão de 64 bits da Slackware Linux, mas ainda assim executam aplicativos de 32 bits, como por exemplo o cliente Steam, da Valve, ou o Skype, ou o emulador WINE, entre outros, foi disponibilizada a correção para a vulnerabilidade, descoberta recentemente, na biblioteca glibc, e nomeada como Ghost, nos pacotes que compõem a multilib, gentilmente mantidos e disponibilizados por Erick Hamleers, mais conhecido como alienBOB, um dos mantenedores da distribuição Slackware.

Estes pacotes tiveram o patch de correção para a vulnerabilidade aplicados, eliminando assim a possibilidade de utilização desta falha por atacantes mais habilidosos, já que vimos anteriormente que especialistas na área de segurança afirmaram ser uma vulnerabilidade um pouco complexa de ser explorada.

Para aqueles que ainda não tem os pacotes instalados no sistema, ou que queiram atualizá-los, basta seguir alguns passos a seguir. Por exemplo, se utilizam o Slackware Linux 14.1, acessem o terminal como root e execute os seguintes comandos:

Para criar uma variável com a versão do Slackware

# SLACKVER=14.1

Para criar o diretório que receberá os arquivos

# mkdir multilib

Para acessar o diretório criado

# cd multilib

Para baixar os pacotes da internet para o diretório criado

# lftp -c “open http://taper.alienbase.nl/mirrors/people/alien/multilib/ ; mirror -c -e $ {SLACKVER}”

Para acessar os pacotes baixados no diretório

# cd $ {SLACKVER}

Para instalar a primeira parte dos pacotes

# upgradepkg –reinstall –install-new *.t?z

Para instalar a segunda parte dos pacotes

# upgradepkg –install-new slackware64-compat32/*-compat32/*.t?z

Pronto! Todos os pacotes da biblioteca atualizados, e ainda fornecendo proteção contra a vulnerabilidade recentemente encontradas nos mesmos.

Anúncios

Valve mostra protótipo da plataforma de jogos Steam

Após anunciar recentemente as especificações de hardware presentes em sua plataforma de jogos, a Valve apresenta agora um protótipo deste equipamento, o que vem a demonstrar o quanto este projeto está sendo levado a sério e o quão próximo ele deve ser implementado no mercado, acirrando ainda mais a disputa pela preferência dos consumidores de jogos por um dos consoles de entretenimento disponíveis.

O sistema foi desenhado como uma referência e não deve ser esta a versão final que deve ser lançada para o consumo, porém já nos dá uma boa percepção do que a empresa pretende oferecer como produto.

SteamMachineO modelo conceito foi concebido com um processador Intel Core i7, placa de vídeo GeForce GTX 780, fonte, placa-mãe, disco rígido, tudo isso em um case relativamente pequeno, e com sistema de refrigeração um pouco diferente.

A Steam Machine da Valve vem com uma divisão de zonas de resfriamento em três partes, a placa gráfica ventila para a parte de trás, o processador para cima e a fonte pela lateral. Cada zona também puxa o ar de diferentes áreas, o que deve ajudar a resfriar o console de maneira razoável.

SteamMachine1O SteamOS, sistema operacional baseado no kernel Linux, e que virá pré-instalado em cada console Steam Machine, tem uma aparência muito similar ao modo de tela cheia do Steam, e é dito que tem funcionado bem.

As versões finais do console devem ser disponibilizadas para consumo em meados do meio do próximo ano, e devem vir em diferentes configurações e valores. Vamos acompanhar de perto, e esperar que estes valores não causem tanto descontentamento quanto foi sentido pelos gamers de plantão, ao saberem do valor final do esperado Playstation 4 aqui no Brasil.

Mais detalhes podem ser vistos no artigo original, postado em inglês no site Techspot.

Softwares livres estimulam o futuro da tecnologia

FOSS

Tradução livre do artigo original, postado no site Linux.com.

” A tecnologia entrou em uma nova era em que o software não é mais um diferencial , mas a fundação onde os ” grandes vencedores “ estão construindo seus serviços , Jim Zemlin afirmou hoje em seu discurso anual sobre o Estado do Linux na LinuxCon e CloudOpen América do Norte em Nova Orleans.

Empresas como Google , Facebook e Twitter são construídos sobre software livre e open source e esse padrão é a definição de sucesso em computação . Grandes mudanças no cenário de tecnologia para a computação em nuvem e um modelo de aplicação centralizada na web também estão favorecendo o Linux e o código aberto.

“Linux é o modelo padrão para novas áreas de inovação”, disse Zemlin .

Enquanto a computação em nuvem e em escala global toma conta do mercado, o Linux lidera essa mudança e vem substituindo o Unix como sistema operacional de facto para os servidores. Jim prevê que o Linux e open source vão continuar a dominar enquanto as funcionalidades são abstraídas para camadas de serviço e o suporte de hardware se tornam mais importantes.

“Toda tendência está sendo desenvolvida em cima de software livre e open source “, disse ele . “Eu posso lançar um dardo e ele atingirá ( o nome de ) uma empresa que está sendo criado em cima de código aberto e livre”.

O Twitter , que anunciou na semana passada seu planejamento para um IPO ( Initial Public Offer, ou oferta pública inicial, que é a estréia no mercado de ações ), tem software de código aberto em seu núcleo e contrata de 10 a 15 por cento de sua equipe de engenharia a partir de pessoas que trabalham em projetos de código aberto relacionados ao Twitter, disse Zemlin .

O futuro dos jogos é o Linux

A Valve, empresa de jogos que em fevereiro lançou sua plataforma web Steam para Linux, também cria e executa todo o seu código-fonte, animação e ativos em Linux – uma configuração típica para as empresas na indústria de jogos , disse Gabe Newell, co- fundador e diretor-executivo da Valve em seu discurso que se seguiu e reforçou a mensagem de Zemlin .

As mesmas tendências que moldam a indústria de tecnologia em geral estão a moldar a indústria de jogos – impulsionando a inovação e mudança do modelo de negócios, Newell disse .

O centro de gravidade deslocou-se a partir de plataformas de hardware de console com preço e acesso controlado por fabricantes de PCs, para um modelo baseado em jogos online, livre para jogar e multiusuário. Como resultado, as empresas estão investindo em desenvolvedores e serviços, e os usuários são o foco das estratégias de desenvolvimento de mercado, Newell disse .

A percepção de que este era o novo modelo de negócios , encaminhou a Valve a mudar sua abordagem no desenvolvimento de jogos.

” A Valve se convenceu de que o Linux é o futuro dos jogos “, disse Newell .

Então, eles começaram a trabalhar duro para dar a certeza de que o Linux é uma boa solução para os jogadores e desenvolvedores de jogos , disse ele. Eles começaram por portar um jogo para Linux e as lições aprendidas nesse processo foram aplicadas a muitos dos jogos que se seguiram. Eles agora têm 198 jogos rodando em Linux e desenvolvedores trabalhando em contribuições para outros projetos de código aberto .

O próximo passo é resolver o problema da fragmentação entre as várias plataformas móveis, ( utilizações na ) sala de estar e desktop. Eles estão almejando uma ” grande unificação ” e tem planos para anunciar a sua visão para uma solução de hardware na próxima semana “.