Tecnologias essenciais para administradores de sistemas GNU/Linux júnior

Em uma postagem de setembro de 2020, Tyler Carrigan, da Red Hat, relata a conversa que teve com alguns administradores de sistemas GNU/Linux experientes, onde estes apontam quais tecnologias acreditam serem valiosas para o conhecimento de administradores aspirantes.

A pergunta feita aos profissionais foi sobre quais tecnologias teriam facilitado o começo de suas carreiras. Eis o que alguns deles responderam:

Isso pode parecer bobagem vindo de alguém que é administrador do Linux há tanto tempo quanto eu, mas gostaria de ter passado mais tempo aprendendo sobre scripts, especialmente no Bash (e na época, Perl, mas agora Python). Eu estava bem na minha carreira antes de perceber o poder do bash quando combinado com ferramentas de análise de linha de comando como sed e awk. Reconheço que as funções que eu tinha antes não eram centradas no Linux. Aprendi com outro administrador quando consegui meu primeiro trabalho de administração do Linux quanto tempo eu realmente poderia economizar aprendendo a criar scripts de tarefas repetitivas. O poder de um loop for em uma linha de comando bash ou a análise de saída de linha de comando com sed e awk … Depois que aprendi essas habilidades, ele me abriu um novo mundo. O mesmo pode ser dito hoje sobre automação com ferramentas como o Ansible.Nate Lager (Gerente de Contas Técnico, Red Hat).

“Para mim, a resposta é definitivamente Ansible. Lembro-me de reconstruir meu servidor web pessoal cerca de 7 anos atrás, e escrevi este script bash longo e complexo para criar usuários, instalar e configurar software e preparar tudo para “entrar em produção”. Quando mostrei meu trabalho a um amigo, ele disse “Legal, mas por que você simplesmente não usou o Ansible?” Minha primeira reação foi “Bem, este é apenas um servidor web simples. Quem precisa de uma ferramenta de gerenciamento de configuração complexa?” Então decidi percorrer alguns tutoriais básicos do Ansible e minha abordagem de administração de sistemas mudou para sempre. O poder do Ansible está em sua flexibilidade; ele tem a capacidade de orquestrar vários sistemas, executar gerenciamento de configuração e até mesmo executar tarefas únicas. Acho que todos deveriam pelo menos passar por alguns tutoriais do Ansible no início de suas carreiras para ter uma ideia do poder do gerenciamento de configuração simples.” Anthony Critelli (Engenheiro de Sistemas Sênior, Datto Inc.).

“Depois de ler sua pergunta primeiro, pensei em coisas importantes como Linux em geral ou aprender scripts de shell. Mas, embora essas tecnologias sejam importantes, parecia um tanto inespecífico. Agora, tenho certeza de dizer que gostaria de ter ouvido falar sobre a ferramenta de linha de comando ‘timewarrior’ antes. No trabalho, eu monitoro quanto tempo passo em diferentes projetos ou tópicos. Antes de conhecer o timewarrior, eu usava arquivos de texto, planilhas, formulários HTML com bancos de dados ou papel simples para fazer isso. E a cada vez tive que deixar meu terminal para fazer isso. O Timewarrior mudou minha maneira de controlar o tempo por projeto. Agora é rápido e fácil e acontece no meu espaço de trabalho – o terminal. Bem, acho que é hora de escrever um artigo para apresentar essa ótima ferramenta. Além disso, como Anthony disse antes, o Ansible é, com certeza, uma ferramenta que cada administrador de sistema deveria ter examinado de uma vez. A implantação do meu blog com o Ansible foi uma das primeiras coisas que fiz para me familiarizar com alguns dos conceitos e módulos.” Joerg Kastning (Administrador de Sistemas, Bielefeld University).

E você, o que acha? Alguma sugestão para completar a lista?

Para acessar a postagem original, em inglês, acesse este link.

Associação ao Linux Professional Institute disponível!

LPI Membro

O Linux Professional Institute disponibilizou a opção de associação a ele, permitindo uma maior interação da comunidade open source, bem como oferecendo algumas vantagens aos seus associados. O programa ainda está em fase beta, mas promete algumas facilidades e direitos, entre eles:

  • Opção de voto nos membros do conselho;
  • Possibilidade de participar de funções de comitê e governança;
  • Manutenção da validade de certificações através de PDUs (Unidades de desenvolvimento Profissional);
  • Acesso a descontos nos exames LPI;
  • Acesso a descontos em produtos de parceiros;
  • Entre outras.

Para ser elegível, é necessário que os candidatos atendam a alguns critérios, e também realizem alguns passos, que são:

  • Fornecer informações de contato precisas;
  • Possuir uma certificação chancelada pelo instituto, entre elas as LPIC em qualquer nível, ou as relativas a DevOps e BSD.
  • Concordar com o código de conduta;
  • Aceitar o acordo de associação;
  • Pagar as taxas de associação (que podem ser relativas a um ou três anos);
  • Além de manter a associação e certificações através de PDUs.

O ciclo de três anos demanda a quantia de 60 PDUs, que podem ser obtidos com a participação em treinamentos, eventos, congressos, seminários, a obtenção de certificações de terceiros, ministrando cursos, atuando como profissionais em atividades relacionadas às certificações que detêm junto ao instituto, entre várias outras formas. Basta escolher entre elas e carregar as devidas comprovações, que serão avaliadas para a possível aceitação.

Até mesmo detentores de certificações inativas podem se associar, bastando para tanto que insiram a quantia mínima de 20 PDUs, dentre as várias formas citadas acima e, sendo estas unidades de desenvolvimento aceitas, seguir com o processo normal de solicitação.

Após o trâmite da requisição, e o devido pagamento da taxa de associação, bem como a final aceitação como membro, a referida certificação volta a ficar ativa, permitindo que possa continuar a sua jornada de aprendizado, sem a necessidade de realização dos exames que seriam necessários para essa reativação.

No meu caso, realizei o processo todo em menos de uma semana, desde a solicitação inicial, carregamento de evidências e aprovação final. Agora possuo ativa a certificação que havia expirado em 2018, podendo investir o valor que seria necessário para a renovação, da forma tradicional, na busca pela obtenção de uma certificação de nível superior na trilha oferecida pelo instituto.

Detalhe, ao obter uma nova certificação do Linux Professional Institute, esta continua tendo a validade de cinco anos, independente da decisão de se manter como associado.

Para maiores informações, acessem a página junto ao próprio LPI. Também está disponível, online e sob demanda no YouTube, um webinar em inglês, onde é explicado como funciona o programa de associação e planos futuros.

Kali Linux 2020.3 lançado!

Kali Linux

Uma nova versão desta distribuição open source, criada para testes de intrusão, foi disponibilizada pelo time da Offensive Security, e traz algumas novidades, entre elas:

  • Kali NetHunter – é a plataforma/aplicação para a realização de testes em dispositivos móveis, que agora conta com o Bluetooth Arsenal, que combina um conjunto de ferramentas bluetooth, pré-configurado com fluxos de trabalho e casos de uso. Isso permite a utilização de seu adaptador externo para a realização de reconhecimentos, spoofing, escuta e injeção de áudio em dispositivos diversos, incluindo caixas de som, headsets, relógios ou mesmo carros, segundo a Offensive Security. Também suporta agora telefones Nokia 3.1 e 6.1.
  • O time gerou previamente imagens para 19 tipos de hardware com processadores ARM, mas também atualizou scripts de compilação para estes dispositivos, para que os usuários possam gerar imagens rapidamente para eles, chegando a um total de 39 tipos.
  • Win-KeX (Windows + Kali Dasktop EXperience), que provê uma interface gráfica persistente para o usuário.

Outro anúncio de impacto foi a intenção de troca do terminal Bash, pelo ZSH, como o terminal padrão da distribuição. Para quem não conhece, este tem recursos adicionais, quando comparado ao Bash, e suporte a plugins.

A troca em definitivo está prevista para a próxima atualização da distribuição, e neste meio tempo o time de desenvolvimento pede que os usuários testes este terminal e ofereçam feedback.

Para mais detalhes, acessem o artigo original em inglês, no site HelpNetSecurity.